segunda-feira, 18 de maio de 2009

EDIÇÃO DO QUINTO ANIVERSÁRIO DO MUNDO UNIVERSITÁRIO II


Traquinices em papel de jornal
Os cinco anos são aquela idade chata em que nos negam bolos nas pastelarias e brinquedos nas feiras. Apesar do irresistível puxar de saia do inocente ardina sobre o olhar repreendedor maternal, que amiúde também nos nega as noitadas com uma bola nos pés e um gelado nas mãos. Mas os cinco anos não são só isso.
Mais vendavais e tempestades povoam tenra idade como as que as chatas raparigas semeiam. São capazes de estragar qualquer boa brincadeira meticulosamente planeada. É uma qualidade especial de uma vadia menopausa a inventar sarilhos antes da puberdade, que advêm das babes por essa altura.
Com cinco anos, sabemos o que sabemos, e sabemos que isso é muito. Sabemos o que os adultos nem sonham. Viajamos em sonhos de arruinar o mundo ataviados de uma forquilha de elásticos numa mão e com cinco dedos vincados na cara, se com esse plano partirmos uma janela alheia. Mas essa embaraçosa visão nunca faria capa no MU. Um jornal adulto, mesmo antes dos sarilhos da puberdade, que possam deambular em tão curta carreira por páginas que poderão divulgar uma fórmula de salvar o Universo de todas as forças diabólicas ou, simplesmente, publicar notícias de uma certa irreverência estudantil. Por tudo isto, a este caloiro ainda em banho-maria para umas boas praxes, um simples e sincero Parabéns.
Por Shampo Decapante |
info@mundouniversitario.pt

Comentário do director - Fernando Alvim
Antes de tudo, o termo “Traquinices” logo no início desta mensagem remete-nos para aquelas revistas de carácter erótico de que todos gostamos. Títulos como
“Traquinices no sótão”; “Traquinices a dois” e coisas assim... Parabéns por isso! Depois, é evidente que não foi nenhum caloiro ainda em banho-maria que escreveu isto. Há que agradecer isto a quem o enviou de facto: Obrigado, Francisco Louçã.