terça-feira, 23 de março de 2010

JULIAN CASABLANCAS – PHRAZES FOR THE YOUNG


Com a aura criativa mais que esgotada por parte dos The Strokes, resolveu aventurar-se fora da banda, que nunca mais encontra saída do deserto criativo que atravessa e, em boa hora, o seu vocalista Julian Casablancas fez-se ao caminho.
O resultado é um trabalho bem arrumadinho entre o Rock que caracterizou a banda com o seu primogénito “Is This It” a piscar o olho à dança manchesteriana dos New Order como é exemplo o primeiro single extraído do LP, “11th Dimension”.

THEM CROOKED VULTURES - THEM CROOKED VULTURES


Os fãs do Rock & Roll no seu sentido mais artesanal têm mais um motivo para celebrar. Josh homme dos Queens Of The Stone Age voltou a fazer uma super banda, os Them Crooked Vultures. A banda conta ainda com o sempre companheiro de Josh, Dave Grohl dos Nirvana e Foo Fighters e ainda com a lenda viva, John Paul Jones dos Led Zeppelin. O álbum de estreia, homónimo, reúne 13 temas que embora nada de novo traga ao panorama musical da actualidade, enche as medidas de muitos fãs do rock mais desenvolto e analógico.

SAMUEL ÚRIA – NEM OLHE TOCAVA


“Nem lhe tocava” é o primeiro LP a solo para Samuel Úria e o primeiro da parceria entre a Flor Caveira e a Valentim de Carvalho. A mudança nada de novo nem de mau trouxe à flor Caveira, e assim o músico assina mais um trabalho da editora com a qualidade a que já habituaram os fãs. ‘Nem lhe tocava’ é um disco português, para consumo nacional com doze temas repletos de influências que vão de Jorge palma, Ornatos Violeta até Vitorino.

THE PARLOTONES – A WORLD NEXT DOOR TO YOURS


“A World Next Door to Yours” é o segundo LP para a banda sul-africana do momento, The Parlotones. Com melodias Pop bem rendilhadas ao longo dos doze temas que compõem o álbum, a banda aproxima-se neste registo, a passos largos da sonoridade dos norte-americanos The Killers, contrariando as influências que assumem dos Radiohead, Muse ou The Smiths. Ainda assim, o LP merece uma audição atenta, pois descortina-se nele as relíquias sonoras que justificam o sucesso que vão conhecendo pelo mundo fora.

MISS LAVA – BLUES FOR THE DANGEROUS MILES


Aos primeiros acordes, os Miss Lava apresentam o pavimento onde se movimenta o resto do seu primeiro LP de originais. “Blues For the Dangerous Miles” tem o Hard Rock energético de onde muitas bandas de garagem lapidaram os primeiros movimentos que degeneraram no Nu Metal e Heavy Rock que neste caso se posiciona algures entre o peso dos Paradise Lost e a alquimia dos Kings Of The Stone Age e, que vai ao encontro do bom momento que Portugal atravessa dentro do género de que são exemplo bandas como More than A Thousand.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

ARNALDO ANTUNES – IÊ IÊ IÊ


O Brasil sempre teve um fraquinho pela expressão musical do iê iê iê, quer na sua fase primordial pela mão do galã Roberto Carlos, quer em tempos mais recentes por Carlinhos Brown. a música que muito influenciou o Rock&Roll sempre esteve presente na cultura brasileira. Agora chegou a vez de Arnaldo Antunes com o seu “iê iê iê”, um disco divertido com algumas influências que vão desde os Beatles até ao músico francês Serge Gainsbourg e que também carrega consigo algum do tropicalismo típico dos músicos brasileiros

in mundo universitario