sexta-feira, 18 de julho de 2008

A ENTEVISTA

Caía calmamente a penumbra politica num fim de uma solarenga tarde de julho do ano de 2008.
José Sócrates, calmo à varios dias a contas com as calamidades dos seus ministros deveria acabar a tarde agarrado a algum rosário algures numa igreja perto de São Bento, enquanto o vosso chato depois de evocar meia dúzia de imperiais para amainar o calor do fim de tarde ali numa esplanada digna de uns campos Elísios parisienses " a Elisa e fazia a tarde", lá me levantei para ir cometer o pecado da gula que já se fazia tarde.
Quando chego a casa e me preparo para atacar uma xaputa frita com arroz de tomate ouço vindo da sala mais proprimamente do televisor anunciarem:
-Hoje Judite De Sousa convída Luís Filipe Vieira...
-Épa que isto está bom- digo eu enquanto abano a fumaça do arroz, e não era do arroz que ainda fumegava que eu fazia o comentario, e meus amigos o convite de J.D.S. a L.F.V. não era para os copos que a moça tem bom gosto... era para uma entrevista na tv...
-Temos sopa- imaginei eu- o dia ainda não fica por aqui- pensei eu ainda melhor, é que eu pélo-me por ouvir uma bigodaça lusa do tempo do cretácio a falar na tv, isto meus amigos ia ser um serão de historia, ou um serão histórico...
Mas desilusão amigos, não era o sr L.F.V. mas sim Dom Queixinhas De Lá Luz, mas emfim fiquei para ver o que dizia ou do que se queixava. Começou bem ao seu estilo nervoso e inquieto na cadeira a interronper as perguntas e a contradizer-se. depois andou a disparar contra moinhos de vento tal e qual um Dom Quixote De Lá Mancha com o qual anda picado pelo titulo de cavaleiro da triste figura.
Disparou ainda contra um fulano do porto que lhe queria fezer uma espera depois de uma reunião da liga, talvez fosse só para perguntar se o sr ainda tinha kits de sócio...
-Quanto ao assalto na sua residência, disse que os assaltantes não queriam levar nada o que eu compreendo pois um napron em cima de um televisor não é nada apelativo... disse que queriam apenas assusta-lo, não tinham lá ido para trocar os pneus do carro nem para pintar-lhe a casa mas sim para o intimidar, tudo quanto lhe posso adiantar é que o senhor deveria falar por ex: do assalto que a Académica e companhia fizeram na luz e deixar o housejacking "ena esta inventei agora" para falar numa esquadra de policia não acha?
E pronto a entrevista lá teve um ponto alto quando o presidente do glorioso falou de uma saladinha de polvo e de resto fait-divers, desculpas dos maus resultados para cima dos treinadores e dos jogadores lavando dai as suas mãos sem referir que no passado disse que a escolha dos treinadores passava sempre por ele.
Mas há adeptos que não se importam e prova disso é que finda a entrevista recebi uma mensagem no telemovel vinda de um amigo benfiquista que dizia
-Este ano é que é...
Ao que eu só podia responder
-Felizes os pobres de espírito, porque é deles o reino dos céus...