quarta-feira, 12 de novembro de 2008

AINDA SEI O QUE FIZESTE-TE NO NATAL PASSADO


O elixir da vida, o éter que cura a ferida ou até mesmo a pedra filosofal que tanto procuramos passam-nos todos os dias diante dos olhos e nem nos apercebemos. A verdade é que a felicidade suprema está nas conversas de um qualquer fim de tarde num boteco onde se possa aferir a frescura de uma imperial a borbulhar ou mesmo experimentar a sensação magnífica do tinto servido ao copo. E eu conheço duas espeluncas assim, é o bombar e o Baco... E o Sócrates que se roa a pensar que perdemos tempo a falar mal dele, dos seus escudeiros e da sua mal amada ama da nação a degustar um cocktail molotov à base de ovos nas ruas de Fafe. Já que quando meia dúzia de cinco reis de gente consegue por SMS reunir uma quadrilha para estragar a agenda política de um ministro não é lamentável Sr. primeiro-ministro, isso só demonstra a qualidade de política e de políticos que temos em Portugal...
Nós não falamos de si Sr. primeiro-ministro ou dos seus lacaios a serem brindados no Portugal dos pequeninos, nós falamos de coisas mais serias e mais terrenas. Nós falamos de coisas de adultos num país de crianças. O sal da vida não está consigo nem com os seus, o sal da vida está num dueto maravilhoso que a Popota e o Toni Carreira criaram, para nos brindar com uma excelente musica para cantarolar-mos nesta época natalícia, que tema de conversa tão interessante fomos nós arranjar ontem, e a grande alegria que nós experimentamos no casamento entre a Popota e o grande interprete da nova musica ligeira portuguesa, o grande Toni Carreira. Depois do casamento musical entre o Jack White dos white stripes e a Alicia Keys para o tema do novo 007 que melhor parceria poderíamos nos receber que a da Popota com o Toni?
Sr. primeiro-ministro depois ainda falamos da relação entre a Leopoldina e o Rodolfo, a alcoólica rena do pai natal. Tiveram a oportunidade de me explicar que o Rodolfo e a Leopoldina ficam muito bem um para o outro, e eu depois ao estilo de um Cláudio Ramos ou mesmo com a classe "sem cair na bicharia está claro" do afro alcoviteiro Daniel Nascimento expliquei que o Rodolfo é alcoólico por causa de ser o único ser com dois palmos de testa por terras do pai natal. ... Muito ficou por dizer, mas as sarguetas já me arrefeciam no tacho e pus-me a milhas. Mas a caminho de casa veio-me à cabeça a tal duvida que há anos me assola e talvez o Sr. primeiro-ministro me possa explicar. Será que alguma vez o Calimero foi à...